6 de maio de 2013

DE ONDE SURGEM OS PROBLEMAS DA PROFISSÃO DE NUTRICIONISTA?

Uma profissão relativamente nova que tem passado por desafios e necessita se reafirmar no mercado de trabalho, em especial na área de Nutrição Clínica.
NUTRICIONISTA: Uma profissão promissora para quem sabe atuar!
O primeiro curso de Nutrição do Brasil foi criado em 1939, na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo – USP, de lá para cá a profissão cresceu positivamente e alcançou seu espaço na equipe multidisciplinar em saúde.

Atualmente os profissionais da nutrição têm encontrado dificuldades para exercerem as suas atribuições, sejam em hospitais, prefeituras, indústrias e restaurantes, e também têm sofrido com um salário aquém do merecido. O que será que tem acontecido?

O primeiro problema seria o grande número de profissionais lançados no mercado para pouca oferta de emprego, por outro lado é sabido que nem todos os órgãos públicos e privados conhecem a importância da educação nutricional para seus funcionários e não se preocupam com uma alimentação segura e balanceada a ser servida em seus refeitórios.

Infelizmente o maior problema que a classe sofre atualmente não é de origem externa e sim interna. Isso mesmo, os principais problemas que temos sofrido estão vindo do nosso próprio meio e se iniciam durante a formação Universitária, aliás, é claro e nítido que tudo começa na sala de aula desde o primeiro dia; parece uma espécie de vírus que alguns nutricionistas docentes pegaram na sua época de faculdade e repassam para seus alunos e assim vai seguindo como um infinito circulo de Krebs. 

Há alguns dias postamos algo sobre o uso do estetoscópio e do esfigmomanômetro e o esperado aconteceu: profissionais que não aprenderam a usá-los na faculdade! Oras caros leitores, como um PROFISSIONAL DA SAÚDE HUMANA que estuda fisiologia, patologia e anatomia, não aprendeu ou não considera importante um dado clínico como a Pressão Arterial para a prescrição dietética? Todas as pessoas do mundo sabem que têm hipertensão, por exemplo? Aliás, ela é silenciosa, não? Um nutricionista com um achado clínico desses já sabe que tem que encaminhar o cliente/paciente para um cardiologista e já sabe que seu plano alimentar será adequado ao hipertenso!

Outro problema é o exame físico (clínico), alguns nutricionistas não estão realizando o exame físico como deve ser feito. E como deve ser feito? Olhemos os olhos, pele, cabelo, unhas, use aquele palitinho (aquele que parece de picolé) e olhe língua, gengivas, não sabemos se o paciente está com deficiência de vitamina C (escorbuto) ou deficiência de vitaminas do complexo B (glossite), não tenhamos medo de examinar o corpo humano, afinal estudamos para isso. Caso seja detectado algo que foge das nossas competências, ou pintou a dúvida, a equipe multidisciplinar está aí para isso, encaminhe, compartilhe, discuta! O paciente só tem a ganhar!

Prescrevamos os suplementos quando julgarmos necessários, inclusive de vitaminas e minerais desde que atendam a legislação que prevê que não atinjam/ultrapassem 100% do valor diário recomendando (VDR). Solicitemos os exames laboratoriais necessários para o nosso diagnóstico nutricional, não esperemos por médicos, TAMBÉM SOMOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE e temos autonomia prevista em Lei! E se a Lei não está sendo respeitada: DENUNCIEMOS!
O NUTRICIONISTA é o profissional que domina o binômio
homem-alimento


O que está acontecendo com a nossa profissão é algo parecido como uma atrofia muscular, quando um músculo não é usado acaba perdendo a sua função, diminuindo. Nós estamos perdendo espaço e a culpa é toda nossa, pois temos medo de trabalhar. 

Caso algum profissional tenha dúvida do que pode ou não pode fazer é só consultar a legislação, está tudo lá no preto e no branco. E se por acaso existe alguém que não se importe com o organismo humano, este alguém está na profissão errada. Receber o paciente, fazer uma anamnese e avaliação nutricional (pesar e medir) muitas vezes pode ser insuficiente, lembremos que se tratando do organismo humano temos que ser detalhistas e as deficiências nutricionais são bem visíveis para um profissional que sabe o que faz e está em constante atualização. Depois não reclamemos que as pessoas só nos procuram para emagrecer/engordar, pois é apenas isso que alguns profissionais fazem.

Vejamos onde estamos errando e analisemos nossa profissão antes que seja tarde demais, pois já estão de olho nas nossas atribuições, só não ver quem não quer. A nossa profissão precisa de alunos que tenham fome por conhecimento, ousadia e senso-crítico e professores que alimentem isso com muita energia.
Sejamos de verdade! Nutricionistas!

5 comentários:

  1. faço nutrição e ja pude perceber isso. Muito bem falado e explicado.parabéns pelo blog.

    abraço!

    ResponderExcluir
  2. Exatamente isso...Parabéns pelo blog !

    ResponderExcluir
  3. Sou estudante de nutrição e pretendo me tornar um ótimo profissional... Sei das dificuldades e desafios mas em todas as profissões tem...

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Que post perfeito!Também acredito que possamos ser cada vez melhor, e vamos sim colocar a cara pra tapa, estudar e quebrar os mitos desta profissão.
    Obrigada pelo Blog.

    ResponderExcluir